VINHOS

O Terroir

Quando se trata do segredo dos ingredientes perfeitos para um vinho, podemos resumi-los a alguns elementos essenciais - o solo e o clima adequados (uma combinação definida nos círculos vínicos como 'terroir'), e um tratamento cuidadoso e responsável por parte do viticultor. O Algarve está inserido num anfiteatro natural, protegido dos ventos do norte pela serra de Monchique, resultando num clima único caracterizado por uma média de mais de 3.000 horas de sol por ano.

O solo, maioritariamente calcário e argila, força as videiras a perfurarem mais o solo, exactamente o que é necessário para cultivar uvas neste tipo de terroir. A nossa proximidade com o Oceano Atlântico garante que, mesmo nos dias mais quentes de Verão, há sempre uma brisa fresca, que proporciona uma ventilação natural e um controlo da temperatura das vinhas. Em combinação com a poda verde, os viticultores podem definir exatamente que rumo deverá um determinado vinho seguir. O grau de poda verde poderá maximizar a exposição solar, resultando em vinhos opulentos e frutados, enquanto a maximização da sombra e a circulação de ar fresco, resultará em vinhos mais frescos e subtis.

winery

Filosofia

Um vinho natural de alta qualidade só pode ser feito com uvas de grande qualidade, por isso, acreditamos que os nossos enólogos precisam de passar tanto tempo nas vinhas como na adega. O papel da vinificação é orientar o processo, permitindo à natureza seguir o seu curso, nomeadamente num processo que se divide em três fases:

  • 1. O cultivo das uvas
  • 2. Transformação das uvas em vinho
  • 3. Envelhecimento, engarrafamento e rotulagem do vinho

Da videira à garrafa, a nossa filosofia de vinhos baseia-se na qualidade, em oposição à quantidade. Acreditamos que esta é a razão pela qual a Quinta dos Vales se tornou, rapidamente, na líder de mercado, numa indústria vinícola algarvia em ascensão.

A nossa abordagem é simples mas direta. Um bom vinho deve ter a sua origem na vinha, pois só uvas perfeitas produzirão um vinho verdadeiro e natural. Na medida do possível, o nosso principal desafio interagir com todas as influências infinitamente variáveis e interligadas dos minerais do solo, luz solar, água, temperatura, casta e as respostas de uma videira viva, que alteram de dia para dia, equilibrando os seus frutos, folhas e raízes. Os sistemas naturais são muito complexos e imprevisíveis, mas uma vez alcançado este objetivo, o trabalho na adega tem início.

O trabalho na adega requer muitas competências técnicas, no entanto tudo se baseia no rigoroso princípio de que o nosso papel é apenas ajudar as uvas a desenvolver o seu melhor potencial. A adição de produtos químicos é evitada sempre que possível. Tudo o que fazemos na adega é utilizar tecnologia moderna para extrair o melhor das uvas e convertê-las no melhor resultado natural que as várias castas têm para oferecer.

PROCESSO

Abrolhamento

Todos os anos o novo ciclo começa na Primavera, quando as videiras começam a acordar lentamente de sua dormência de Inverno. Nas nossas vinhas, abrolhamento acontece entre meados de Fevereiro e meados de Março, quando as videiras começam a empurrar para fora as primeiras folhas verdes que iniciam um novo ciclo de crescimento. Tendo permanecido guardadas e protegidas durante todo o Inverno, as folhas recém-nascidas, minúsculas e dispersas, têm apenas um objetivo - reiniciar a fotossíntese e gerar nova energia em preparação para a próxima colheita. Tal como magia, verá vinhas inteiras mudarem a sua tonalidade de castanho escuro para o verde vibrante, à medida que nas videiras crescem mais e mais folhas no que é chamado de "desenvolvimento rápido dos gomos".

Relatório do Abrolhamento (EN)
PROCESSO

Floração

A floração ,começa normalmente mais perto do final de Abril, quando as videiras começam a produzir flores, processo que determina tanto o volume da colheita como a dimensão dos bagos finais. Os cachos embrionários começarão a difundir um cheiro encantador que cobre toda a vinha doces aromas. Cerca de 10-14 dias após a floração estar completa, as flores polinizadas começam a formar pequenos bagos verdes, sendo que cada um desses bagos dará origem a um bago de uva. Nesta fase podemos fazer o nosso primeiro prognóstico da vindima desse ano.

Relatório de Floração (EN)
PROCESSO

Fase do Pintor

Mais perto do final de Junho, os bagos começam lentamente a mudar de cor, o que indica o fim de um ciclo e o início de outro. As uvas vão agora iniciar a transição do seu crescimento para a fase de maturação, o que significa que o foco muda da quantidade para a qualidade. Em breve será possível detectar o progresso da maturação à distância, quando os bagos começam a atrair os pássaros devido à mudança de aroma de ácido para frutado-doce. Mais perto da vindima, o aumento de açúcar e a diminuição de ácidos nas uvas serão medidos diariamente pela nossa equipa de Enologia, a fim de definir a data ideal de vindima.

Relatório da Fase do Pintor (EN)
PROCESSO

Vindima

Normalmente, a vindima na Quinta dos Vales começa no início de Agosto. Após uma análise cuidadosa das últimas amostras de uva no campo, a data de vindima para cada casta é determinada com base no facto de estas terem atingido os níveis desejados de açúcar, acidez e pH. Depois disso, a equipa inicia o seu meticuloso trabalho de colheita manual das uvas maduras, colocando-as em caixas de 12 kg, para depois serem levadas para a câmara frigorífica para evitar a chamada "fermentação espontânea", que pode ter início devido à temperatura quente no exterior. Depois de serem arrefecidas, durante a noite, até aos 5°C, as uvas estão agora prontas para o próximo passo.

Relatório da Vindima (EN)
PROCESSO

Processamento das uvas

Agora que a estapa vitícola está completa (trabalho de vinificação no campo), a etapa vinícola pode começar (trabalho de vinificação na adega). As uvas vindimadas devem ser processadas o mais rápido possível para evitar oxidação indesejada. Os bagos arrefecidos são passados para a linha de produção para serem submetidos a um processo de selecção manual, onde as uvas são cuidadosamente seleccionadas para garantir que apenas os bagos da mais alta qualidade chegam ao vinho. Uma vez triadas, as uvas são separadas dos caules com a ajuda de uma máquina de desengace, que começa a libertar o sumo de uva dos bagos. Após este ponto, o processo para vinhos tintos e brancos/rosé começa a variar.

PROCESSO

Prensa

Na produção de um vinho branco ou um vinho rosé, as uvas são transferidas para a prensa pneumática. Este lagar está equipado com uma membrana que vai insuflar lentamente, extraindo suavemente o sumo das uvas. O sumo de uva não fermentado, também conhecido como mosto, é então armazenado numa cuba de aço inoxidável a 8-10ºC, onde será deixado durante 2 ou 3 dias, até que qualquer sedimento que possa estar no vinho se deposite no fundo.

PROCESSO

Fermentação a temperatura controlada

Uma vez decantado, o mosto limpo será transferido para outra cuba para iniciar a fermentação alcoólica sob temperatura controlada na nossa câmara frigorífica. Após os açúcares terminarem a sua transformação em álcool e dióxido de carbono, é altura de o vinho ser transferido para a cuba final para a estabilização. Os vinhos passam pelos processos de filtração e mistura, sendo posteriormente armazenados na câmara frigorífica em 0˚C durante dois meses (Janeiro e Fevereiro), altura em que a estabilização tartárica está concluída. Estes são as etapas finais na elaboração dos vinhos branco e rosé.

PROCESSO

Maceração

Para que possamos produzir vinho tinto, as uvas devem ser submetidas a um processo completamente diferente, uma vez que a cor presente nas peles apenas é libertada na presença de álcool. Após o desengace e esmagamento das uvas, estas serão transferidas diretamente para um depósito de fermentação em aço inoxidável, não existindo a etapa da prensagem. Uma vez no depósito, inicia-se o processo de maceração, extraindo a cor, o sabor e os taninos das uvas, peles e sementes, a uma temperatura controlada de 10-12˚C.

PROCESSO

Fermentação em Lagar

Após a maceração, a temperatura dos lagares é ajustada para 20-22˚C, e a fermentação alcoólica começa, à semelhança dos vinhos branco e rosé. Dependendo da casta e do tipo de vinho produzido, são utilizadas várias tecnologias de fermentação na produção do mesmo. No passado, a forma tradicional de trabalhar as uvas era esmagá-las com os pés descalços em lagares de granito ou mármore. Embora seja uma abordagem muito romântica e apelativa, a tecnologia moderna permite alcançar resultados de alta qualidade em condições muito mais higiénicas e controladas em cubas de fermentação abertas, que garantem o elevado contacto com o oxigénio, necessário durante o processo.

Relatório da Fermentação Alcoólica (EN)
PROCESSO

Tanques de fermentação com Sistema de Remontagem

Uma das tecnologias mais frequentemente utilizadas para os nossos vinhos é a que utiliza cubas de fermentação com sistema de remontagem. Este extrai o mosto do fundo da cuba e bombeia-o sobre as películas na parte superior, para garantir uma circulação constante e uma óptima extracção dos compostos de cor e aroma das uvas. Como o processo de fermentação leva bastante tempo e é muito sensível à temperatura, as cubas de fermentação têm anéis de refrigeração incorporados para baixar a temperatura dentro da cuba.

PROCESSO

Fermentação Maloláctica

Após a fermentação alcoólica, é feita a desencuba, sendo separado o vinho das peles, e as peles passam pelo processo de prensagem por forma a libertar qualquer líquido adicional. Neste momento, o vinho é transferido para outra cuba de aço inoxidável, onde começa a fermentação secundária - maloláctica. Durante este processo, microorganismos naturalmente presenets no mosto transformam o ácido málico (encontrado nas maçãs verdes) em ácido láctico (encontrado no leite). Este processo ajuda a suavizar o vinho e a dar-lhe uma textura menos adstringente.

PROCESSO

Cave de Barricas

O ponto alto de cada uma das nossas visitas à adega, a cave de barricas, é impressionante. O vinho é normalmente transferido para esta sala para o processo de estágio, que acontece em barricas de carvalho Francês durante, aproximadamente, 12 meses, sob temperatura ambiente controlada. Este processo é crucial para o desenvolvimento dos sabores e aromas de um vinho tinto. Pequenos poros no carvalho permitem a micro-oxigenação, suavizando o vinho e criando um produto final mais polido, e os taninos libertados da madeira natural para o vinho tornam-no muito mais rico e complexo.

PROCESSO

Loteamento

Após o período de estágio, é hora de transferir o vinho para cubas de aço inoxidável para posterior loteamento, o qual é supervisionado pela nossa equipa de enologia de topo e acaba por ser um processo criativo emocionante todos os anos. Os lotes decididos - ou vinhos monovarietais - estão então finalmente prontos para serem engarrafados e rotulados. No caso do vinho tinto, o produto engarrafado terá de estagiar em garrafa durante mais um ano, antes de estar pronto para ser consumido, enquanto que os vinhos brancos e rosés estão prontos a consumir!

Vinhos do Algarve

Temos uma produção média anual de 150.000 garrafas, que é feita a partir de 15 castas diferentes, a maioria das quais portuguesas (ex. Touriga Nacional, Touriga Franca, Aragonês, Verdelho e Alvarinho).

Mas também temos algumas castas Francesas que crescem na propriedade (por exemplo Syrah, Viognier e Cabernet Sauvignon), o que permite muitos lotes e combinações diferentes, assim como vinhos monovarietais. Uma das castas mais tradicionais da região - Castelão – é utilizada tanto nos vinhos tintos, como brancos e rosés, dada a sua versatilidade.

A principal marca de vinhos da Quinta dos Vales - Marquês dos Vales - está em constante evolução e melhoria através de procedimentos de produção precisos e alguma flexibilidade na decisão sobre os lotes finais, sendo sempre o objectivo o de sempre fornecer apenas o melhor produto final.

Em 2014 lançámos a nossa segunda marca - DIALOG - que é uma gama gastronómica, concebida para harmonizações com determinados pratos. Estes vinhos requintados são a prova da nossa forte crença em rigorosos procedimentos de controlo de qualidade, mas também da nossa flexibilidade na aprendizagem e na criação de um produto ainda melhor.

Todos os rótulos das garrafas são representações da arte de Karl Heinz Stock, já que a combinação de vinho e arte é um tema recorrente em toda a propriedade.

Nos primeiros 10 anos de produção os nossos vinhos já foram distinguidos com mais de 100 medalhas e prémios nacionais e internacionais, assim como com louvores e grandes críticas. A nível regional orgulhamo-nos de dizer que durante este período de tempo, dos 10 prémios "Melhor Vinho do Algarve", ganhámos 5 deles, algo que deve falar por si.

MARQUÊS DOS VALES

TINTO Selecta Tinto 2017

Selecta Tinto 2017 é um vinho de cor vermelha com reflexos violeta, no nariz especiarias, cacau e ameixa madura. Na boca apresenta bom volume, maioritariamente vermelhos. Acidez equilibrada e final muito equilibrado.

BRANCO Selecta Branco 2021

Este vinho honesto de cor palha pálida tem um perfil muito tropical e equilibrado, com aromas de ananás, damasco e flores brancas. Na boca é um vinho seco, com uma acidez bem equilibrada e um final agradável e persistente.

ROSÉ Selecta Rosé 2021

Este vinho honesto cor de salmão, com aromas de fruta fresca como morangos e framboesas, tem uma acidez refrescante, corpo leve e um final agradável.

TINTO Duo Tinto 2017

De cor rubi, com aromas de frutos silvestres como mirtilos e amoras. Na boca, frutado com algumas notas herbáceas e uma ligeira tosta. Boa acidez, taninos bem integrados e um final persistente.

BRANCO Duo Branco 2020

De cor palha com notas verdes, é um vinho em que a casca de limão e outros citrinos se destacam das notas de fruta. Com uma acidez e frescura notáveis, o final é elegante e cremoso.

ROSÉ Duo Rosé 2021

Este vinho genuíno de cor salmão apresenta aromas de ginja e rebuçado, equilibradas com uma componente floral. Na boca apresenta boa frescura, com um toque mineral e um final leve e elegante

TIINTO Grace Vineyard Tinto 2014

Um vinho de cor granada com tonalidades cobre. No nariz, os aromas de fruta vermelha madura fundem-se com frutos silvestres. Na boca é rico e complexo, com taninos de grande qualidade e elegância, onde a tosta suave e fumo são complementados por frutos de compota e especiarias, com um final longo e persistente.

TINTO Grace Touriga Nacional 2016

É um vinho rubi de cor profunda, onde se destacam os aromas a violetas, típicos da casta.. No nariz é picante, com aromas de cereja e chocolate. No paladar apresenta grande estrutura, notas de cereja e chocolate preto, taninos redondos e um final longo e persistente.

TINTO Grace Touriga Franca 2017

O Grace Touriga Tinto 2017 é um vinho opaco escuro, de cor violeta, com aromas de frutos silvestres e giesta. Na boca apresenta notas de frutos vermelhos, com notas de especiarias perceptíveis no final. Estrutura delicada, com taninos finos e polidos.

BRANCO Grace Vineyard Vinho Branco 2021

Este vinho de cor amarela com reflexos esverdeados apresenta aromas de fruta branca e tropical, como o ananás, e tosta muito bem integrada. Na boca apresenta uma acidez vibrante, complementada com notas tropicais e uma boa estrutura.

BRANCO Grace Viognier Vinho Branco 2019

Este vinho de cor de palha clara apresenta laivos verdes. No nariz, prevalece uma combinação de groselha branca e chá de erva-príncipe. Uma boa acidez aliada a notas subtis de tosta dão ao vinho um final persistente e elegante.

TINTO Grande Escolha Tinto 2015

Um blend composto por três castas nobres, com cor rubi profunda e perfil de especiaria. No nariz destacam-se também aromas a fruta preta madura, como a ameixa preta e um ligeiro herbáceo. Na boca, apresenta-se muito complexo, com boa estrutura, taninos ricos, acidez bem presente e um final longo, persistente e marcante.

DIALOG

Tinto Ursus Tinto 2016

Este vinho de cor palha clara tem um nariz tropical com notas a chá verde. A combinação de acidez e citrinos dá ao vinho não só uma grande frescura, mas também uma boa mineralidade.

BRANCO Ursus Branco 2021

Este vinho de cor amarela com reflexos esverdeados apresenta aromas de fruta branca de caroço, como pêssego. Na boca apresenta-se ligeiramente fresco e com um final frutado e marcante.

ROSÉ Ursus Rosé 2021

Este vinho de cor salmão, com aromas de fruta fresca, como morangos e framboesas, apresenta uma acidez refrescante, corpo leve e um final agradável.

BRANCO Dialog Vinho Branco 2020

De cor palha com reflexos dourados, apresenta-se como um vinho gastronómico, com notas de fruta de casca branca, marmelo e chá de tília. Acidez equilibrada, mineralidade salina e um final longo e elegante.

Tinto Dialog Tinto 2014

Cor cereja com laivos granada. Ligeiras notas a anis, bem como frutos vermelhos e pimentos verdes. Na boca é elegante, com notas marcantes a frutos vermelhos maduros, pimenta , um toque de mel e notas de tosta, devido ao seu estágio em barricas de carvalho de alta qualidade. Final de boca persistente mas muito elegante.

ESPECIALIDADES

TINTO Elegant Grace Tinto 2019

Vinho de cor púrpura com laivos violeta. No aroma apresenta-se fresco e exuberante, com carácter floral. Na boca, com taninos jovens mas elegantes. Notas de bagas silvestres e frutos vermelhos, com um final médio e suave.

TINTO Grace Syrah-Viognier Tinto 2017

Este vinho de cor rubi revela um perfil com notas a especiaria e aromas frutados e florais. Notas de pimenta preta, cereja e um pouco de menta destacam-se. No paladar apresenta boa estrutura, notável acidez e taninos bem integrados. O seu final de boca é complexo, agradável e persistente.

TINTO Wanted Vinho Tinto 2016

Esta tonalidade de vermelho é tão escura que quase chega ao preto. O aroma primário experimentado no nariz é de frutos silvestres maduros, emparelhados com notas subtis de gengibre. Um vinho poderoso e encorpado que consegue aliar intensidade e elegância. Notas de ameixa preta e especiarias, com destaque para a pimenta.

BRANCO Grace Syrah Blanc de Noir 2019

Este vinho de cor principalmente prateada com nuances douradas tem um nariz picante e cítrico. É um vinho é mineral e fresco, com um final agradavelmente subtil.

BRANCO Grace Alicante Bouschet Branco 2019

Este vinho de tonalidade prateada apresenta também laivos esverdeados. Um nariz limpo de ervas aromáticas, tais como jasmim, é acompanhado por uma acidez equilibrada e notas de especiarias.

BRANCO Castelão Blanc de Noir Branco 2019

Produzido a partir da casta Castelão, muito versátil, é um vinho amarelo pálido com notas herbáceas e florais salientes, aromas de maçã verde, acidez equilibrada e um final refrescante.

BRANCO Syrah Blanc de Noir 2018

No nariz é muito delicado, com aromas de frutas vermelhas, como framboesa e morango. Na boca é picante, cremoso, com boa frescura e um final agradável.

ROSÉ Grace Pinot Noir

Este vinho de cor rosa também apresenta laivos alaranjados. Um vinho notavelmente seco, no nariz com notas de magnólia e canela. Na boca predominam notas de frutos da floresta, com uma acidez controlada e um final elegante e suave.

LICOROSO Touriga Nacional Licoroso

Vinho de cor rubi com aromas complexos de frutas secas, como passas e figos. Na boca é doce, bem equilibrado com taninos suaves e um final longo e persistente.

Este website está registado em wpml.org como um website de desenvolvimento.