O desafio foi lançado a Cláudia Abrantes, maître e sommelier do restaurante A Ver Tavira, recentemente distinguido com a primeira estrela Michelin. Com uma garrafeira composta por mais 400 referências sugerem-se “tintos do Algarve que merecem ser conhecidos”

Natural de Manteigas começou o percurso profissional, em 1990, nas Pousadas de Portugal até que o mar lhe abriu novos horizontes. Em 2004, tornou-se subchefe sala e bar, nos navios Princess Cruises, que Cláudia Abrantes considera “um dos maiores desafios da carreira profissional”, mas que lhe permitiu viajar pelo mundo. Em Portugal, colaborou com restaurantes premiados como Pedro Lemos, Casa de Chá da Boa Nova, Vista Restaurante e São Gabriel, estes dois já no Algarve. Depois do curso de escanção na Escola de Hotelaria e Turismo de Faro, seguindo-se o WSET nível 2.

Atualmente, Cláudia Abrantes é maître e sommelier do restaurante A Ver Tavira, recentemente distinguido com a primeira estrela Michelin, onde gere uma garrafeira composta por mais 400 referências. Foi a partir de Tavira que aceitou o desafio de selecionar quatro vinhos tintos do Algarve que merecem ser conhecidos.

Cláudia Abrantes é maître e sommelier do restaurante A Ver Tavira

Cláudia Abrantes é maître e sommelier do restaurante A Ver Tavira

Marquês dos Vales – Syrah – Viognier
Da responsabilidade da enóloga Marta Rosa, este é um vinho produzido em Silves com as castas Syrah e Viognier. De corpo médio, muito elegante, leve com toques de fumo, fruta negra e especiado, apresenta um final de boca longo e persistente. Acompanho, com sabores de um cozido português à temperatura de 18 graus. O casamento é perfeito.

Paxá – Negra Mole
A partir da Negra Mole, a “casta principal do Algarve”, este vinho é produzido por Joaquim e Tiago Lopes. De cor rubi macio, notas florais, frutos vermelho e ligeiro vegetal, na boca é sedoso, com um final caramelizado. É um excelente vinho para acompanhar o nosso peixe de linha com arroz malandrinho e molho de peixe assado, com “forte sabor a mar”.

Morgado do Quintão – Castelão
De vinhas velhas 100% Castelão, é produzido em Silves por Joana Maçanita. Vinho de cor rubi, com toque a frutos vermelhos muito redondo e fresco, é ideal para servir com o bacalhau com feijão branco, azeitonas e couve fermentada.

João Clara – Reserva
De 2016, é produzido em Silves por Joana Maçanita, a partir de três castas: Syrah, Alicante Bouschet e Touriga Nacional. É um vinho de cor rubi perfumado, com aroma a violetas e rosas, toques de ameixa preta e chocolate negro. Apresenta grande volume de boca com taninos maduros e boa elegância e um  fim de boca com fruta fresca ideal para acompanhar o nosso Black Angus, com a carne bem marmoreada e jus de cogumelos silvestres.

Este texto foi originalmente publicado em: https://expresso.pt/boa-cama-boa-mesa/vinhos/estes-sao-os-vinhos-tintos-do-algarve-que-todos-devem-conhecer-e-provar/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este website está registado em wpml.org como um website de desenvolvimento.