ARTE

Arte e vinho sempre tiveram uma relação próxima, mas nunca estiveram tão próximos como na Quinta dos Vales, onde esculturas deslumbrantes podem ser apreciadas juntamente com vinhos premiados de alta qualidade. Em vários locais do jardim encontrará uma exposição de mais de uma centena de peças em diferentes estilos, materiais e tamanhos. A arte foi um elemento fundador da Quinta dos Vales, e continua a estar no seu centro nos dias de hoje. O artista por detrás da maioria destas esculturas é na verdade o proprietário da Quinta dos Vales, Karl Heinz Stock. Há décadas que é artista, sabendo desde o início que o seu desejo era o de combinar vinho com arte. A razão para tal é a existência de uma característica fundamental tanto para um amante do vinho como de arte: paciência. Nem o vinho nem a arte são prazeres simples, requerem dedicação e tempo para serem desfrutados na sua plenitude, e esta é a proposta que é colocada aos visitantes da propriedade.

A maioria das peças de arte já fazia parte de exposições que percorreram toda a Europa. Nestas incluem-se as instalações de Graces, Árvore de Elefantes, Reunion of the Bulls, Dança dos Ursos e Passion.

ss

FILOSOFIA

Como o vinho, a arte é desenvolvida com coração, cuidado e precisão. Como a arte e o vinho sempre formaram uma simbiose próxima, era óbvio para nós que estes aspectos culturais tinham de ser combinados. Karl Heinz Stock, proprietário e criador da Quinta dos Vales, há muito que é um audaz empreendedor, tendo sempre como hobby a escultura. Na sua perspectiva, a Quinta era o local perfeito para expôr as suas extraordinárias - e por vezes provocadoras - peças de arte, enquanto atraía atenção para o seu empreendimento vínico.

Isto, aliado à sua paixão pelo vinho, deu origem ao que é hoje a Quinta dos Vales - uma quinta absolutamente única com centenas de esculturas coloridas em exposição ao ar livre. A ideia por trás dessas obras de arte é simples e complexa ao mesmo tempo. A arte deve, em princípio, não ter limites; nem político nem cultural, permitindo a expressão de ideias que não seriam possíveis em sociedades menos democráticas. Nesse sentido, a arte tem, e sempre teve, um importante papel social e político. Atravessa fronteiras sem pedir permissão, torna o impossível possível, cria um vínculo entre as nações, permite uma linguagem comum sem palavras, não conhece amigos nem inimigos e não está limitado pela gravidade, limitações lógicas ou artificiais.

ss

GLOBOS MULTIFACETADOS

Imagine um espaço onde o planeta Terra pudesse ser visto a poucos metros de distância. E se, além de podermos vê-lo, pudéssemos modificá-lo? Talvez pudéssemos pintá-lo de uma cor mais brilhante, ou desenhar um rosto familiar, um animal, uma planta, ou talvez uma mistura de tudo isso? Nada é impossível quando se trata de imaginação. Na exposição "Multifaceted Globos" ou "Globos Multifacetados", podemos ver 15 globos pintados que nos transportam para os lugares mais escondidos da Terra.

Esta imensa escultura-pintura que ocupa cerca de 100 m3 de espaço foca na unidade e diversidade do nosso planeta entre os cinco continentes, não só nos educando nos diferentes modos de vida, mas nos despertando para a sustentabilidade e a situação ambiental global através dos olhos de 12 artistas multiculturais que se juntaram a Karl Heinz Stock para implementar este projeto. Considerando a complexa engenharia necessária para produzir as esculturas, o projeto foi subdividido em duas partes, uma com os cinco continentes com diâmetro de 165 cm cada, e outra com as 15 esferas de 120 cm de diâmetro. Trabalhar com vários artistas é sempre um grande desafio porque, finalmente, uma obra de arte deve ser criada. No entanto, a parte mais complicada dessa composição foi de fato o projeto de engenharia; como encontrar uma maneira de instalar os anéis internos com os globos já no lugar, e só então instalar os anéis externos. ? Uma vez que os anéis externos estejam no lugar, os cabos de aço podem ser conectados aos anéis interno e externo.

Os suportes do anel interno poderiam então ser removidos e a estrutura permaneceria equilibrada. Parece fácil, mas levou muitas horas de brainstorming, modelagem e micro-ajuste. As dificuldades técnicas foram - como sempre - um pouco mais importantes do que se esperava inicialmente.

ss

DANÇA DOS URSOS

"Dança dos Ursos” or “Uma viagem de dez mil milhas começa com o primeiro passo ".

Neste projecto o artista, Karl Heinz Stock, criou com a sua equipa de artesãos ,esculturas semelhantes na sua maioria, mais ainda assim únicas, de criaturas também elas excecionais, convidando 26 talentosos pintores e artistas de vários países, com diferentes nacionalidades e origens, para fazerem a sua própria interpretação do tema "Evolução". Esta foi a única linha geral, fora isso os artistas foram totalmente livres na sua expressão artística. A transformação de pinturas bidimensionais e mosaicos em pinturas-escultura tridimensionais foi uma experiência nova e emocionante para todos os participantes.

Se a força motriz por trás do projeto do urso também for unificadora, ele não pretende ser político ou educacional. O que deveria ser alcançado era simplesmente uma nova interpretação artística do termo "evolução", para mostrar presença. E se pudermos dar um impulso para nos esforçarmos mais: ainda melhor. A evolução é a força motriz por trás da mudança positiva e vice-versa e a razão pela qual a humanidade cresceu e se desenvolveu ainda mais.

A interpretação artística de uma ideia abstrata nunca é fácil, mas podemos ter alcançado o que procurávamos.

O aspecto multicultural foi um elemento importante no projeto, pois acabou abrindo a mente e aumentando o espectro de experiências. A escultura do urso como meio básico de transmissão da mensagem foi escolhida especificamente por estar em muitos aspectos próxima do ser humano. Desde o início dos tempos, os ursos cativaram a imaginação do homem, em muitas civilizações os ursos eram frequentemente representados na arte, como símbolo de força e capacidade de adaptação às mudanças. A humanidade e a arte evoluíram a partir dos conceitos antigos de suas primeiras eras. Muitos anos se passaram e o urso ainda brilha como símbolo na sociedade moderna por sua resistência, persistência e capacidade de ter características adaptativas que nós, humanos, ansiamos e admiramos.

Para mais informações, consulte a brochura "Dança dos Ursos".

ss

PASSION

“Paixão” significa muitas coisas para muitas pessoas. Mas seja qual for o significado, na vida tudo é sobre paixão. Este tema abrangente é o que nos torna a todos únicos e diversos e nos ajuda a alcançar ou realizar o que mais desejamos. O projecto "Passion", o seguimento do bem sucedido "Dança dos Ursos", é precisamente isto: uma oportunidade para os artistas movidos pela paixão interpretarem este tema universal muito livremente, usando a escultura animal tridimensional como meio para partilharem as suas interpretações por todo o país.

Um projeto único que evoca muitas leituras, não é de surpreender que tenha descoberto uma ampla gama de interpretações muito individuais. Cada peça continua a ser um trabalho individual, mas todas elas têm um ímpeto particular devido às expectativas que os artistas têm de si mesmos e da equipe como um todo. O que nos leva a ser bem-sucedidos e felizes ao longo de nossas vidas? Paixão, um sentimento que pode significar muito. O principal desafio em transformar a ideia de “Paixão” em uma escultura animal, foi encontrar um meio que pudesse representar essa ideia. Elefantes, animais com aproximadamente o mesmo tempo de vida de um ser humano, inteligentes, muito orientados para a família, e seus adolescentes com quase o mesmo comportamento de seus colegas humanos foi a escolha final. Escusado será dizer que eles inspiraram os artistas a irem ainda mais longe. Além de uma exposição de esculturas itinerantes “normais”, nasceu a ideia de inspirar elefantes a subir em árvores. Se você olhar em volta ainda encontrará vários elefantes ocupando as árvores! A escultura original da árvore do elefante pode ser encontrada na Alemanha hoje. Para mais informações, consulte a brochura "Paixão”.

ss

GRACES

Estes trabalhos são geralmente baseados em fortes elementos orgânicos , que o artista vê como a melhor interpretação das mulheres de corpo inteiro. As Graces, figuras femininas curvílineas com salientes e voluptuosas formas, parecem desafiar a gravidade e flutuar como bailarinas em movimento, mantendo o equilíbrio muito delicado entre opulência e leveza. Este conjunto de esculturas pode ser encontrado em diferentes formas, desde uma dança fluida até um desafiador equilíbrismo que parece superar todos os obstáculos; e muitos são também os materiais das quais estas podem ser feitas.

Estas esculturas são inspiradas em Henry Spencer Moore, Fernando Botero e principalmente Niki de Saint Phalle com suas coloridas Nanas. Você pode reconhecer as influências das peças de cada artista na coleção única de criações.

As pequenas Graces são feitas em cerâmica e bronze; as maiores, feitas de fibra de vidro e resina de poliéster, podem variar de 85 centímetros a 6 metros de altura, uma magnífica obra de arte para um pequeno jardim ou uma grande propriedade. Escolher trabalhar com fibra de vidro e resina de poliéster não foi fácil, pois o próprio processo de trabalho é parte importante da criação de uma escultura. Trabalhar com ferramentas manuais em uma pedra, por exemplo, libera o cheiro de metais escondidos por milhares de anos na pedra, trabalhar com bronze é um processo emocionante que exige alta habilidade por parte de diferentes artesãos. No entanto, considerando que todas as esculturas desta oficina foram e se destinam a 'viajar', a logística acabou por triunfar sobre os materiais tradicionais. Nossas graças são encontradas em toda a Europa, da fria Noruega aos Alpes suíços.

Este website está registado em wpml.org como um website de desenvolvimento.